sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Da grandeza do Sport Lisboa e Benfica

A discussão da bola sempre foi pródiga em gerar das maiores e mais estúpidas incongruências que o ser humano consegue produzir.

Outro dia, alguns benfiquistas (?) exaltavam as qualidades do presidente flatulento. Que o Benfica já tinha feito jogadas semelhantes, de Calabote a Marselha, passando pela conversa do Vieira com o Valentim em que se “pedia” João Ferreira para árbitro dum jogo para a Taça de Portugal. A reacção natural é negar e sem pensar acusá-los de crime lesa pátria, temperando-os em sem chumbo 95 para facilitar sua cozedura em lume brando.. Mas esta é a reacção dos sem razão e portanto há que explicar isto com mais calma.


Associo este tipo de comparação ao clube assumidamente corrupto. Se repararem, qualquer portista não nega que o seu clube é corrupto: a resposta é sempre “vocês também são”. No fundo é o drogado que não se importa de o ser desde que tenha companhia. Do lado do clube da fivela, clube pouco dado à discussão do jogo em si (há muito que lhes deixou de interessar o que se passa na cancha), vem sempre a história de associar Benfica ao Estado Novo. Revolta igual e método de cozedura igual para os acima mencionados.

No fundo, eles têm consciência que a verdade é conceito subjectivo que carece de assimilação pelo homem. Ou seja, uma verdade negada ao infinito pode passar a ser mentira e uma mentira propagada mil vezes pode passar a ser verdade. Mas, ainda assim, não lhes interessa que seja ou não verdade. Basta o ruído que distraia atenções.

Seguramente que já fizemos umas jogadas de bastidores. Qualquer gajo que tenha dado um pontapé numa bola sabe que há um manhoso em qualquer lado. Quer isto dizer que somos iguais aos demais? Somos um Clube igualmente corrupto? A resposta, óbvio, é não. A resposta está na regra que vigora no nosso Clube: jamais aceitaríamos crescer à base do ódio, da vingança, da podridão. Jamais aceitaríamos ter um presidente flatulento (pelo menos a maioria). Jamais justificámos os nossos erros com o sucesso dos outros.

A nossa essência é a razão da nossa grandeza. Porque uns sentem vergonha quando vêem nas suas próprias bancadas adeptos sem pedigree e cor de pele adequada para serem adeptos de um clube que se quer de “bem”, porque para uns as vitórias servem para dividir o país e semear o ódio norte/sul, tenho a certeza que seremos sempre Maiores que Portugal. Nunca quisemos ser mais do que um Clube e acabámos por tornar-nos em muito mais do que um Clube.

E é por isso que dizer que o nosso Sport Lisboa e Benfica é igual a porto e/ou sporting é o maior nojo que já vi.

PS: Presumo que o amigo leitor saiba a justificação dos pseudo-casos de corrupção associados ao nosso Clube. É que o kapotes já escreveu sobre todos eles (ou quase todos) de forma exemplar..

4 comentários:

O lado do futebol disse...

O Blogue, O LADO DO FUTEBOL QUE NUNCA VIRAM está de volta!
Visitem e tornem-se seguidores!

http://oladodofutebolquenuncaviram.blogspot.com/

Sigam-nos também no facebook em:
http://www.facebook.com/pages/O-Lado-Do-Futebol-Que-Nunca-Viram/185646038140169

Peço desculpa pela publicidade.

Cumprimentos.

Viriato de Viseu disse...

Excelente postadela. Venha mais.

Conde de Vimioso disse...

Não passa da tentativa de se limparem da lama que os atola salpicando os outros.

Mas essa mentira não passará.

marley disse...

Grande post
É verdade,uma mentira contada milhentas vezes acaba por se tornar verdade.
A Verdade virá ao de cima.
Viva o Benfica!
maria