quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Triunfo na não tão Invicta


São triunfos como este que nos enchem a alma, não só por ser contra os nossos maiores adversários, na casa deles, contra um árbitro que nos reduziu a 10 logo no início da segunda parte mostrando 2 amarelos ao jogador que maior pânico causava na tripeirada, o Fábio Coentrão. Entrámos no jogo por cima e cedo aproveitámos o brinde oferecido pela dupla Maicon/Helton. Entrámos por cima, porque marcámos na primeira jogada de perigo, mas também porque entrámos com mais atitude e com uma surpresa, a inclusão de César Peixoto, que sendo um jogador com pouca área de movimentação permitia ao Fábio Coentrão, ontem particularmente inspirado e motivado, fazer o flanco todo visto que as costas ficavam compensadas pelo Peixoto. Justiça lhe seja feita, enquanto o Coentrão teve em campo, funcionou muito bem a fazer as compensações às subidas, voltando para o meio na ajuda ao Javi Garcia para manietar a dupla Moutinho/Belluschi. Ainda assim Varela e Hulk criaram uns quantos desequilíbrios entre o 0-1 e o 0-2 que viria a surgir após mais uma incursão do Fábio, no remate de ressaca do Javi Garcia, cheio de força e efeito. Estivesse Cardozo mais inspirado e o 0-2 tinha surgido mais cedo, ele que posteriormente após uma grande jogada veio a perder o 0-3 para uma extraordinária defesa do Helton.
Apesar de maior iniciativa do Porto, e podiam ter empatado a 1 não fosse o falhanço de mais um jogador descoberto pelo Benfica, o James, raramente criavam perigo, sendo os outros lances perigosos dois remates do Hulk, um que saiu ao lado e outro que obrigou o Júlio César a uma defesa de recurso, porque de resto o Sidnei meteu completamente o Hulk no bolso. Na segunda parte apesar da tentativa do sr. Baptista equilibrar o jogo, o Benfica baixou o Peixoto para defesa esquerdo, com maior apoio do Gaitan. Saviola ainda deu um ar da sua graça, mas o Sr. Baptista com diferença de critérios não penalizou o Fernando, muito menos o Sereno quando este derrubou o Salvio. Quando finalmente soou o apito para o fim do jogo, ficou a sensação que se tivesse sido 11 para 11, talvez o Benfica tivesse chegado mesmo ao 0-3.
Júlio César - Pouco trabalho, apenas uma boa defesa de recurso a remate violento do Hulk
Maxi Pereira - Seguro, sentiu dificuldades iniciais com o James Rodriguez, mas foi melhorando e o lado direito da defesa não teve grandes problemas
Luisão - Jogo tranquilo, ajudou o Sidnei quando foi preciso e limpou várias bolas quando foram bombeadas para a nossa área
Sidnei - Grande jogatana, meteu o Hulk no bolso fazendo-o desaparecer totalmente na segunda metade
Fábio Coentrão - Defensivamente enfrentou Hulk, Varela e Sapunaru pelo que sentiu algumas dificuldades em especial porque após a primeira falta foi brindado logo com um amarelo. Cá para mim foi a vingança do Sr. Baptista pelo golo que marcou logo de início. Para se vingar do amarelo, esteve na jogada do segundo golo, mas reservada estava a surpresa com um segundo amarelo inacreditável por uma falta a meio-campo logo no início da segunda parte.
Javi Garcia - trabalhou muito para secar Belluschi e Moutinho fazendo um bom trabalho, com o bónus de ter marcado um golaço de meia-distância
Salvio - Não foi das notes mais inspiradas, mas apesar de ter poucas vezes a bola ainda tirou a serenidade ao Sereno, pelo que obrigou o Moutinho a estar sempre de olho nele
César Peixoto - o malquisto do 3.º anel, fez um jogão quer nas compensações ao Coentrão, quer no apoio ao Javi Garcia, quer mesmo na ocupação do lugar de defesa esquerdo após a expulsão, pelo que acabou exausto.
Gaitán - Grande jogo a trocar bem a bola, a fazer lançamentos venenosos, a defender, um jogador que pareceu ser mais maduro do que a idade que tem
Saviola - Jogo de esforço, muito apoio a fechar ao meio, impedido a incorporação do Fernando nos movimentos ofensivos. Fez uma grande jogada sendo derrubado em falta pelo Fernando, mas a falta ficou por marcar.
Cardozo - Não esteve inspirado, por vezes muito sozinho a levar constantemente sarrafada dos adversários, quase que marcava por 2 vezes, numa tentativa de antecipação ao Helton e num remate perigoso após grande jogada que deu origem à defesa da noite do Helton.
Aimar - entrou para uma missão de sacrifício, ocupando o lugar que Saviola vinha a jogar desde a expulsão
Airton - Entrou para o lugar do esgotado César Peixoto a dois minutos dos 90 e nos poucos minutos em campo desempenhou razoavelmente a missão de defesa esquerdo
Jara - Entrou já nos descontos para o lugar de Gaitán para queimar tempo.
Fotos: www.slbenfica.pt
P.S. - 14 vitórias seguidas nas competições nacionais e 11 em todas as competições

4 comentários:

Roberto Rodrigues disse...

É um registo de vitórias impressionante, especialmente tendo em conta os obstáculos injustos que a nossa equipa tem de enfrentar.

Um grande abraço

Bcool973 disse...

Sim, mas mesmo contra a incompetência de alguns senhores, seguimos ganhando

Isabelita disse...

E são 15!
Nada melhor que festejar lá naquele antro dois golos.
Nem com ajudas lá foram (expulsão do Coentrão).

Isabelita disse...

Bcool973, copiei (sem crer) a tua foto mas entretanto já a mudei. Temos os dois bom gosto.lol