terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Afinal Os Mouros Estão No Norte

Geneticamente os habitantes do Norte de Portugal são muito mais próximos dos habitantes do Norte de África (Mouros) do que os do Centro e Sul de Portugal.

Segundo um estudo genético apresentado na publicação internacional Annals of Human Genetics Vol.64 Nº6 o Haplogrupo U6 que é mais comum no Norte de África encontra-se presente de uma forma mais marcada nos habitantes do Norte de Portugal sendo até descrita como restrita a esta região.

"Admitting that U6 sequences could have been at least partially introduced by Berber people during the Muslim rule of Iberia, it is strange to find them restricted to North Portugal. As a matter of fact, most historical sources document a deeper influence of Berber (as well as Arab) people in Central and particularly South Iberia (as judged from toponyms and general cultural aænities), compared to North Iberia where the Muslim presence is recorded to have been more ephemeral and consequently to have made less cultural and demographic impact."

Tradução:
Admitindo que as sequências U6 podem ter sido pelo menos parcialmente introduzidas pelos povos Berberes durante a ocupação Muçulmana da Península Ibérica, é estranho encontrá-las restritas ao Norte de Portugal. A maioria das fontes históricas documentam uma influência mais profunda do povo Berber (assim como Árabe) no Centro e Sul da Península Ibérica (como depreendido da toponímia e interacções culturais gerais),comparativamente ao Norte da Ibéria onde a presença Muçulmana é registada como sendo mais efémera e consequentemente ter feito um impacto cultural e demográfico menor.


Outro texto baseado neste estudo pode ser encontrado no U.S. National Library of Medicine
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11281213

"The geographical distributions of both haplogroups were quite different, with U6 being restricted to North Portugal whereas L was widespread all over the country. This seems to point to different population movements as the main contributors for the two haplogroup introductions. We hypothesise that the recent Black African slave trade could have been the mediator of most of the L sequence inputs, while the population movement associated with the Muslim rule of Iberia has predominantly introduced U6 lineages."

Tradução:
As distribuições geográficas de ambos os haplogrupos foram muito diferentes, com o U6 restrito ao Norte de Portugal enquanto o L foi espalhado por todo o país. Isto parece apontar a diferentes movimentos populacionais como os principais contribuidores para as duas introduções de haplogrupos. Pomos a hipótese que o tráfico de escravos Africanos Negros pode ter sido o mediador da maioria das introduçoes da sequência L, enquanto o movimento populacional associado à ocupação Muçulmana da Península Ibérica introduziu predominantemente as linhagens U6.

Os autores deste trabalho foram Pereira L, Prata MJ, Amorim A. do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, Portugal.

Do que li a publicação também teoriza que terá havido uma vaga de ocupação da Península Ibérica vinda do Norte de África anterior à última que deu lugar à reconquista cristã.

Quero acrescentar que pessoalmente não tenho qualquer "fobia" com Norte-Africanos ao contrário de certas pessoas de certo clube que para elas chamar Mouro a alguém do Sul constitui uma ofensa.

Este texto visa apenas expor mais uma mentira dessa gente.


Texto e tradução por Roberto Rodrigues.

Autores: L. Pereira, M. J. Prata e A. Amorim

Fontes:
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1046/j.1469-1809.2000.6460491.x/pdf
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11281213

5 comentários:

BT26 disse...

Muito muito bem apanhado Grande Roberto. Ainda me estou a rir por estes palhaços voltarem a ser apanhados em mais uma mentira :)

Benfica sempre.

http://jjd-gloriosofotogenico.blogspot.com/

Roberto Rodrigues disse...

Muito obrigado caro BT26.

Pela boca morre o peixe-corrupto hehe

Um grande abraço

Master Groove disse...

eheheheheh

é muito bom

kapotes disse...

Na verdade não se trata de uma mentira, antes uma bandeira de uma gente que acima de tudo tentou ou tenta fazer uma guerra sem regras, tenta retrocer a mente de gente inocente e que tem uma vida de (merda) utilizam-se de esse subterfúgio a guerra aos mouros para manterem toldar a mente dos menos cultos e assim trazer para as fileiras de guerra deles, novos guerreiros sem caractér e desinformados, para que assim possam continuar o jogo das bolas de golf, das pedradas e o mais chocante o jogo do ódio que cedo ou tarde nos levará para um caminho de uma desgraça maior, episódios desses existem alguns, mas um dia haverá que a desgraça aconteça e talvez só assim o Governo Forças de Segurança acordem da sua letargia em que se envolveram por uma malha corrupta e acordem. Pragal Colaço falou um dia em cerrar fileiras e pegar em armas estou tão certo de que um dia, isso irá acontecer, certo tambem estou de que os mesmo de sempre da imprensa lá estarão para inocentar aqueles que de há 30 anos para cá pegaram no machado de guerra.
Enorme Post Roberto, e assim fica desvendada mais uma mentira dos corrutpos.

Seismilhoesum disse...

Eu sou beirão, do litoral, fronteira com o Norte. E vivo no Norte. E assisto diariamente a muitos chamarem (despectivamente, claro) de mouros aos do Sul.
Devo dizer que gosto de Portugal unido e a diversidade é riqueza. Mas muito me vou rir se esta situação se confirma mesmo.
Eu, pela minha parte, poderei ser descendente dos antigos Lusitanos mas se for dos mouros fico igualmente satisfeito. Mas só de pensar na cara dos que chamam "mouros" aos outros ... para achincalhar e afinal eles é que são os mouros ..... HaHaHaHa ....