terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O poder político tem medo do futebol

O presidente do Sporting, Dias da Cunha, defendeu mais uma vez que o poder político tem medo do futebol. Para o dirigente, entrevistado nesta quinta-feira à noite na RTP 1, o «sistema» continua a dominar os campos nacionais.

Dias da Cunha, um homem que, segundo o próprio, diz aquilo que quer e pensa e que não acredita que a sua maneira de ser foi alterada pelo futebol, defendeu mais uma vez as suas ideias na RTP 1 e apontou novamente um caminho para a solução dos males do «sistema».

«Os dinheiros sujos entram no futebol porque é permitida a contabilidade criativa. O Sporting insiste em que haja um plano nacional de contabilidade único para o futebol profissional, que as contas dos clubes sejam vistas por uma única entidade, que deverá ser criada, ou por auditores externos. Mas o importante é que alguém se responsabilize pelos resultados contabilísticos. Há corrupção no futebol português, dinheiro sujo. A contabilidade que é apresentada não corresponde a verdade».

Segundo o dirigente, a solução para os problemas do desporto nacional não acontece porque «o poder político tem medo do futebol». Dias da Cunha não tem problemas em afirmar que o futebol em Portugal «tinha de virar uma página», com as letras da nova folha branca a serem escritas de uma forma diferente da actual, com «os clubes a viverem em igualdade de condições uns com os outros».

Ao presidente do Sporting, inquirido por Judite de Sousa durante o programa Grande Entrevista, foi constantemente pedido nomes concretos em relação às suas inúmeras acusações, mas Dias da Cunha preferiu não nomear ninguém, referindo que não se encontrava ali para denunciar, que esse não era o seu papel.«Estou aqui para falar de uma realidade. Quem tem o dever de investigar que investigue».

Dias da Cunha revelou que o seu clube tem um estudo fiável em que o Benfica é o clube com mais adeptos em Portugal, «com cerca de quatro milhões e meio de simpatizantes», mas que o Sporting surge logo a seguir com menos 800 mil (cerca de 3,7 milhões). «O FC Porto está muito abaixo de nós, o que demonstra que as duas verdadeiras colectividades nacionais são Benfica e Sporting. Mas isso não significa que o poder político deva recuar em relação as medidas que tem a obrigação de tomar. Como Maria José Morgado falou, e eu antes dela, há corrupção no futebol português associado ao imobiliário, aos concursos públicos para obras nas autarquias... As suspeitas existem, e essas não são apenas minhas, e devem ser investigadas».

Obviamente, Judite de Sousa explorou o já de si muito explorado Caso Sporting-FC Porto. E, neste ponto, o presidente do Sporting manteve o seu discurso e afirmou mais uma vez que não rompeu com o FC Porto porque sabe distinguir as colectividades das pessoas, «o clube em si significa muito mais». Em relação a Pinto da Costa, considerou o seu homólogo portista de «encantador como pessoa mas que pode ser, quando quer, de uma dureza que ultrapassa os limites da boa educação». O leão referiu que as suas palavras aquando da conferência de imprensa sobre os bilhetes para o polémico clássico foram tiradas do contexto e usadas para outros interesses.

Dias da Cunha admitiu que hoje em dia a sua relação com Pinto da Costa não é a melhor, principalmente devido a «incoerência» demonstrada pelo dirigente portista: «A mudança não está no Sporting! Quem mudou foi Pinto da Costa!»

O presidente leonino referiu ainda que o Sporting tem em seu poder «todas as provas necessárias para levar Mourinho e Pinto da Costa a Tribunal». Todavia, o dirigente não revelou se o clube de Alvalade possui as alegadas imagens do que verdadeiramente aconteceu nos balneários do Estádio Alvalde XXI. No entanto, disse que o Sporting tem em sua posse outras provas.

«Se temos provas do incidente com a camisola de Rui Jorge? Todas! Estamos perfeitamente tranquilos. Mas as provas, variadíssimas, directas e indirectas, guardam-se... Os julgamentos não se fazem na praça pública. Há imagens! Mas não vou dizer é de quê... Sustentam o processo no tribunal».

Sobre o sempre falado «sistema», Dias da Cunha foi mais uma vez evasivo...

«O sistema é um conjunto de relações, de cumplicidades. Tem a ver com o verdadeiro poder do futebol, que é a arbitragem. A autocracia, neste momento, tem duas caras: Pinto da Costa e o Major Valentim Loureiro. O poder está completamente a Norte».

O dirigente defendeu que é urgente a Comissão de Arbitragem sair da alçada da Liga de Clubes, «mas não deve ser entregue a federação», e afirmou que o ex-candidato ao trono maior da entidade que rege o futebol nacional, José Guilherme Aguiar, daria um excelente presidente porque «apresentou um excelente programa para a Liga. As instituições devem ser alteradas para a Liga ser a casa de todos nós».

Dias da Cunha referiu que o Sporting não é neste momento o primeiro classificado na SuperLiga devido ao «sistema», já que «foi extorquido em seis pontos, nas partidas contra o Moreirense e o Marítimo, e o FC Porto favorecido em alguns jogos».

O dirigente revelou também que não há uma política de aproximação para com o Benfica porque simplesmente o «Sporting não se alinha contra nenhum clube». Mas Dias da Cunha confessou que a morte de Fehér provocou a mudança de certas atitudes entre as duas entidades e que, caso seja convidado, não se importa de ver o Benfica-FC Porto de domingo.

«Desejo que eles ganhem porque ainda estou com esperanças de que vamos terminar o campeonato em primeiro».

Esperança também tem no EURO 2004, «tanto no plano desportivo como no geral. Respeito a opinião do seleccionador e gosto dele devido a sua enorme independência em relação aos clubes. O sistema estava habituado a pressionar os seleccionadores.»

Sobre uma eventual possibilidade de ter Figo no Sporting:

«Um dos grandes méritos do Sporting é saber a diferença entre os desejos e a realidade. O Sporting não tem meios para ter Figo na sua equipa. Não há dinheiro. E é por isso que as contas devem ser reguladas.»

Fonte:
"RTP1 "Grande Entrevista""  em Dezembro de 2004

5 comentários:

BT26 disse...

Se juntarmos neste post aquela parte do "encantador como pessoa mas que pode ser, quando quer, de uma dureza que ultrapassa os limites da boa educação" aquele post que falava da prostituta do dias da cunha, começa tudo a fazer sentido.

Benfica sempre.

joão 2 disse...

BT26;
deixei resposta a tua pergunta no post anterior

joão 2 disse...

Kapotes:
já aqui venho a algum tempo ao teu cantinho ler o que aqui publicas e com muito gosto.
abraço

kapotes disse...

Amigos e enormes BT26 e João2

É sempre um enorme prazer conviver com vocês aqui, e agradeço muito sinceramente os elogios.
Um grande abraço a ambos, em breve irei lançar um desafio a quem passa por aqui, ocorrerá por estes dias.

Aquele abraços

BT26 disse...

Com o trabalho que aqui fazes, nós (posso falar por nós?) é que agradecemos :)

Benfica sempre.