sábado, 8 de janeiro de 2011

Ex Presidente Eanes e Juizes protegeram Pinto da Costa e FCP


Ramalho Eanes e juízes a favor do Pinto da Costa

Assumindo-se amigo do presidente do F. C. Porto, Ramalho Eanes diz atribuir grande seriedade ao dirigente, recordando dois episódios ocorridos com o comendador Gonçalves Gomes e ao antigo presidente da RTP. Segundo Eanes, ambos efectuavam negócios com o clube portista sem qualquer contrato formal bastando-lhes a palavra de Pinto da Costa. Daí a notícia da detenção ter eventualmente contribuído para abalar uma boa imagem pública, dando a ideia de, afinal, estar envolvido em crimes graves. "Parece-me pouco razoável que se proceda a uma detenção, que se guarde à vista com dois inspectores, quando ele se apresentou voluntariamente no tribunal". Uma situação, para o general, mais difícil de compreender quando a juíza "parece recusar o valor e a dimensão da culpa de Pinto da Costa", ao "restituí-lo à liberdade", considerando "postergado o perigo de fuga", argumenta, citando um dos despachos da magistrada Ana Cláudia Nogueira.

Também a favor de Pinto da Costa estiveram juntos ao processo - os depoimentos de dois juízes-conselheiros no Supremo Tribunal Administrativo que foram vice-presidentes do F. C. Porto, António Madureira e Lúcio Barbosa. Bem como ainda Matos Fernandes, outro conselheiro, já jubilado, e ex-secretário de Estado Adjunto e da Justiça, entre 1995 e 1999.

Os conselheiros António Madureira e Lúcio Barbosa enfatizaram que, depois da detenção, "muitas personalidades de relevo" procuraram distanciamento face a Pinto da Costa e deixaram de comparecer na tribuna de honra do Estádio do Dragão.

Por outro lado, assumindo ser adepto do F. C. Porto e frequentar o camarote presidencial do Estádio do Dragão, Matos Fernandes declara que Pinto da Costa viria a pagar um "preço brutal" pela "inveja, pelo despeito, pela frustração dos seus principais adversários, que o ergueram em homem a abater". Dizendo-se chocado pelo circo mediático em torno da detenção do dirigente, considerou-a "manifestamente desproporcionada". E para evidenciar ser Pinto da Costa pessoa de "grande sensibilidade", recordou que, quando era secretário de Estado o dirigente sempre cedeu atletas para visitas à cadeia de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos.

3 comentários:

Master Groove disse...

B R U T A L !!!!!!!

BT26 disse...

Só um pormenor, antónio madureira tem alguma coisa a ver com o outro madureira, o macaco ou lá o seu nome?

Benfica sempre.

kapotes disse...

Amigo BT26, este António Madureira é um ex vice dos FCP, o que tu te referes é o Fernando Madureira, personagem essa que foi uma das testemunhas no apito Dourado e escapou ileso às acusações no julgamento das agressões ao vereador Ricardo Bexiga.

Enorme abraço amigo BT26