segunda-feira, 11 de outubro de 2010

A Ditadura de Salazar, Os Primeiros Casos de Corrupção e os Autos-de-fé

O post de hoje leva-nos ao ano de 1939, provavelmente este ano pouco quer dizer à grande maioria das pessoas.

Em 1939 vivem-se os anos dourados da ditadura militar com Salazar à cabeça como presidente da republica.
A época futebolistica decorria dentro da normalidade com o F.C.Porto a liderar o campeonato.

Dia 23 de Abril de 1939 o Benfica desloca-se até à cidade do Porto, para defrontar o F.C.Porto no campo da Constituição, que à data dispunha de 1 ponto de vantagem sobre o Benfica, bastado-lhe apenas o empate para se sagrar campeão nacional.

O Jogo e os Casos

Até então o jogo estava disputadissimo e o jogo tinha entrado nos minutos finais, com o resultado em 3-3 o F.C.Porto tinha o título de campeão nacional na mão, mas no último minuto há um volte face no marcador e na sequência de 1 canto a favor do Benfica Brito um hat-trick no jogo que dá o 3-4 ao Benfica e consequentemente dá a vitória no campeonato ao Benfica, até que surge em cena árbitro Henrique Rosa de Setúbal e anula o golo ao Benfica por hipotético empurrão de Brito a um defesa do F.C.Porto ficando desta forma o título de campeão nacional entregue ao F.C.Porto e o Benfica via assim pelas mãos do árbitro fugir-lhe o título de campeão.

O Dia Seguinte

No dia seguinte ao jogo a Revista "Stadium" dá à estampa a reportagem do jogo e publica as fotos do golo anulado ao Benfica e surpreendentemente a única pessoa que Brito poderia ter empurrado quando fez o golo que daria a vitória ao Benfica e consequentemente traria o título para Lisboa apenas poderia ter empurrado a sua própria sombra.
Irremediavelmente o Benfica perdeu assim o título de campeão da temporada 1938/1939 às mãos de um árbitro e em favor
dos mesmos de sempre o F.C.Porto.

As Figuras do Título

O Presidente do F.C.Porto à época era Ângelo César um dirigente na época à imagem actual de Pinto da Costa, que anos mais tarde viria a ser irradiado do Futebol Nacional.
Ângelo César era um dirigente com fortes ligações à ditadura militar de Salazar.

Benfica Corta Relações

Após este jogo o Benfica cortou imediatamente as relações que tinha com o F.C.Porto.

Os Autos-de-Fé

Após a publicação da fotos do golo limpinho invalidado ao Benfica, pela revista Stadium, o presidente do
F.C.Porto levantou um enorme frenesim pela cidade do Porto, chegando mesmo a insinuar e a acusar a Revista "Stadium" que as fotos do golo mal anulado ao Benfica era puras montagens e falsificadas.
Pelas ruas do Porto verificaram-se autenticos autos-de-fé com várias revistas da "Stadium" a serem queimadas em plena praça pública.

No ano seguinte a este episódio o F.C.Porto desceria de divisão por ter ficado em 3º lugar no campeonato regional mas num verdadeiro volte face a F.P.F. e a mando do poder de Salazar alarga a 1ª divisão de forma ao F.C.Porto não descer de divisão.
Mas esta será uma história para um post (ainda em fase de investigação e recolha de fontes) dentro de alguns dias.

As história de corrupção envolvendo o F.C.Porto vêm de longe de há muitos anos a esta parte, e quando as verdades são inconvenientes assistem-se a autênticos Autos-de-Fé de pessoas a quem a verdade é um inconveniente.

3 comentários:

Abdul-Hamid disse...

ahahaha já vem de longe.
muito se resume ao enorme complexo a tudo o que tem a ver com Lisboa, a capital.
Em tempos que o treinador dos andrades era o pedroto, desloquei-me à cidade do Porto para assistir a um jogo entre o fcp e o Benfica e tirei a prova dos nove, naveguei por entre a cidade e os cidadãos e é o que resssalta. Um enorme complexo!

obrigado por mais este pedaço de história
e pluribus unum
antoniomaia

Anónimo disse...

http://simplesmente-ultras.blogspot.com/

Isabel disse...

E assim se roubam campeonatos e se alargam
só para não descerem de divisão.
Este tipo de factos pode e deve ser deitado à
cara de certas pessoas.