sexta-feira, 17 de abril de 2015

Por falar em Doping no F.C.Porto, O Caso "Semedo e Emerson"



Recuamos cerca de 19/20 anos no tempo`até à temporada de 94/95 , e vamos até ao estádio das Antas onde proliferava naquele tempo como nos tempos que correm um autêntico laboratório de receitas obscuras, que procuravam aumentar a capacidade física de um atleta de alta competição até aos obscuros esquemas de troca de urina de juniores/juvenis vulgarmente escondidas em gabardines que visavam sobretudo cobrir um jogador até aos pés que continham o maravilhoso líquido que seria entregue para o controle anti-doping e que limparia o jogador escolhido. As arti-manhas eram conhecidas nas esferas da alta competição e médicos do laboratório de anti-dopagem limitavam-se a assobiar para o lado e a fazer de conta que nada viam.

O caso que recordamos é antigo tem cerca de 16 anos e leva-nos a falar de um jogador que deu tudo à causa do FC Porto, António Orlando Vinha Rocha Semedo, tinha à data cerca de 30 anos de idade quando foi um dos escolhidos juntamente com Emerson Moisés Costa para o dito controle anti-doping a táctica utilizada estava mais que gasta e caia em descrédito pelo que a solução encontrada foi trocar a urina dos 2 atletas, até porque Emerson recentemente contratado ao Belenenses e num excelente momento de forma e que poderia render ao clube alguns milhões não poderia de forma alguma ser suspenso, perdendo assim o FC Porto o seu melhor homem do meio-campo e perdendo milhões com uma eventual suspensão do atleta.
Resultado de toda a situação, as culpas recaíram sobre Semedo que acusou positivo no teste de doping sendo assim suspenso pelo período de 1 ano de jogar.
Nada anormal em toda esta situação afinal Semedo era já um jogador em final de carreira e com uma lesão gravíssima que o levaria a estar parado por um longo tempo,  o elevado prémio financeiro que posteriormente viria a receber para arcar com as culpas assim jogadores e clube teriam assim a sua recompensa. Afinal de contas o plano era perfeito pois Semedo estava a contas com uma lesão gravíssima.
Semedo saiu posteriormente para o Salgueiros clube que representou ainda durante 3 anos e Emerson transferiu-se para o Middlesbrough a troco de alguns milhões de Euros, na 1ª época foi o titular da equipa, mas aos poucos a amarelinha foi-se esfumando e aquele que parecia um jogador de topo começou a transformar-se num jogador banal, tendo no ano seguinte sido transferido para o humilde Tenerife de Espanha onde ficou por 3 épocas, indo depois parar ao Deportivo onde jogou durante 2 anos indo depois para o At. de Madrid de onde foi dispensado no ano seguinte com guia de marcha para o Rangers onde fez apenas 2 jogos para a meio do ano seguir para o Vasco da Gama onde não fez um único jogo, acabou posteriormente por acabar a carreira no modesto Madureira do Rio de Janeiro, cidade que o viu nascer.

Assim, de autênticos pés de chumbo e jogadores banais se fabricam jogadores bomba, que assim que saem do FC Porto para outros clubes se transformam em jogadores banais e sem qualidade...
O crime vai continuando a compensar para aqueles lados já que nem UEFA nem Lab. Anti-dopagem nacional nada querem com aquela gente que têm como cientista o já conhecido e famoso Dr. Póvoas e a sua amarelinha e que conseguiu colocar no seio do control de anti-dopagem da UEFA um tal de Domingos Gomes que durante anos a fio foi o responsável pelo laboratório de amarelinha das Antas.

Fonte:
Jornalista Anónimo

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

O amadorismo do Futebol Brasileiro.

Enquanto que no resto do mundo, estão acontecendo as ligas de futebol, já em seu segundo turno ou as copas tradicionais nos países europeus. No Brasil, os times estão voltando de férias e iniciando a pré temporada. (pré-época em português de Portugal). 

Muitos criticam a quantidade de jogos e principalmente os campeonatos estaduais pelo amadorismo que é gerido o futebol no Brasil. Inclusive alguns pedem um calendário padronizado ao Europeu.

O que não pensam é que para renegociar as dividas dos clubes em vez de perdoar ou pior fazer vistas grossas, deveriam penalizar os dirigentes que por interesse próprio torna-se dirigente do clube, pois sabe que pode se amparar e ganhar ainda mais grana pois estará protegido pela própria lei e tem muitos envolvidos que lucram junto com os times de futebol, jogadores e o esporte em si. Afinal dependem de lucros para continuar se reelegendo e nada melhor que usar um time de futebol como vitrine politica. 

Para ajudar os times de futebol brasileiro, foram criadas time-manias, e outras loterias esportivas e obviamente não deu certo. 

Os times favoritos da mídia brasileira, sempre gastaram mais do que ganharam, tem time que está pagando para o jogador ir para outro clube pois lá estaria no banco e com isso seria mais um peso morto para o elenco. 

Outros conseguem na calada da noite em um ultimo suspiro fatiar jogadores para empresários. 

 Se não tiver lei que faça o dirigente provar que trabalhou para o clube de forma em prol ao time e pensando menos em seu bolso nada disso irá mudar. 

Mudar a formula do campeonato brasileiro para a volta do mata mata seria um retrocesso incrível que seria premiar a mediocridade e não a regularidade e o planejamento, que pode vir a dar frutos. 

Porém pode se pensar que isso é para desviar o foco que pode ser que nem seja culpa do novo presidente do Grêmio e do Santos que assumiram esse ano, mas, estão pagando dividas, pior o caso do Santos que ganhou Libertadores, vendeu o Neymar e o Ganso por um bom dinheiro e está afundado em dividas. A situação do Grêmio é ainda pior que vem de rebaixamento e pagando dividas antigas desde o começo dos anos 2000. 

Só que se for pensar a um nível  global, 99% dos times brasileiros estão falidos, se tivesse uma lei igual a da UEFA na CONMEBOL por exemplo, talvez não sobraria time nenhum na primeira divisão do Brasil. 

Em maio passado, Carlos Alberto Parreira que estava na delegação do tricampeonato em 1970 no México e foi o treinador do tetracampeonato em 94 no EUA, disse: "A CBF é um exemplo para o Brasil. É o Brasil que deu certo, que dá certo. É muito bem organizada". Será que realmente é o Brasil que deu certo? E não só pelo 7x1 naquela fatídica partida contra a Alemanha que estava anunciada pela preparação e como vinha fazendo a copa do mundo. Até mesmo pela preparação. 

Mas, por todo o esquema e o balcão de negócios que virou a entidade maior do futebol brasileiro que desde a forma que organiza os campeonatos, até como conduz a profissão de treinador de futebol passando pelo quadro de arbitros e os cursos que oferecem. 

Após a copa do mundo realizada em território brasileiro, os arbitros começaram a inventar interpretações que toda bola na mão seria penalti, tanto que prejudicou alguns times no decorrer das rodadas. Depois resolveram voltar atrás. 

O Fato é, que enquanto os clubes não se unirem de forma para um bem maior que é o futebol e realmente brigarem para organizar as competições pensando na parte fisiológica do esporte, tecnica e formação de jogadores não apenas para negociar e ganhar dinheiro, o futebol brasileiro estará fadado ao fracasso. 

Só comparar a MLS (futebol no EUA) e o no Brasil. 

A média de publico lá está aumentando enquanto que no Brasil é cada vez menor e não se deixem enganar que mesmo com o mata mata aos preços que esses dirigentes querem cobrar por uma partida que não apresenta um espetáculo continuará baixa. 

As categorias de bases não são para ganhar titulos e mostrar jogadores ao mundo é para educar o jogador a jogar de lateral, meia de armação, ponta de lança. Quantos jogadores que conseguem chegar a linha de fundo atualmente, olhar na área e cruzar a bola para o atacante cabecear e partir para o abraço? 

Quantos jogadores que conseguem armar uma jogada e tem o raciocínio rápido de deixar o outro na cara do gol? 

E pensar na valorização dá profissão de treinador e criar um plano de carreira, não trocar de treinador a cada 3 meses. Será que não sabem que é o planejamento que faz o sucesso do time? 

Por qual motivo, razão ou circunstancia mandar embora um treinador, trazer o anterior de duas temporadas anteriores e após uma temporada que não mudou muita coisa o clube, re-contratar um que recebeu festa de despedida? 

Até quando irão continuar com esse amadorismo? 

Enfim, que em 2015 o movimento do Bom Senso FC ganhe ainda mais força e consiga repaginar o futebol brasileiro. 


quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Aqui se joga Futebol.

           Imagine um local onde tem apenas dois garotos e uma bola, pés descalços e um par de chinelos. O futebol é um esporte popular, pois não precisam de grandes espaços, equipamentos de segurança ou materiais esportivo.
           
            No esporte profissional, levam multidões ao estádio que agora são conhecidos como arena. 
            
            No inicio do século passado ou até mesmo antes, os jogadores eram tido como heróis dos mineiros e muitos jogavam para não ganhar uma libra ou outro dinheiro, apenas para esquecer o dia difícil de trabalho embaixo do solo em busca do ouro.
            
            Uma jogada pode mudar o mundo. Quando a bola procura o craque naquele instante o povo na geral e nas áreas Vips, o que é legal no futebol é que o pobre torce ao lado do rico e não tem aquele preconceito de classes. Eles se juntam em um único grito de incentivo para o craque realizar aquela jogada e aplaudir de pé. Apenas três vezes isso aconteceu no Santiago Bernabeu em Madri.
            
           No Brasil infelizmente não sabe valorizar os seus marcos históricos. Pudera também não sabemos valorizar os grandes jogadores. Pelé em outro país seria muito mais reconhecido, mas, não vou falar do atleta. O estádio Zerão que fica no Amapá. O nome oficial é: Milton Correia, porém o estádio divide a linha do Equador. Um time joga o primeiro tempo no hemisfério sul atacando para o hemisfério norte.
           
           Mas o que seria dos trabalhadores que passam meses longe da família e da terra firme se não fosse o futebol? As plataformas petrolíferas que ficam na bacia de Campos e região contam com uma quadra de futebol. Hoje em dia com a internet esse não é mais o único passatempo que esses funcionários tem. Mas as disputas do rachão continuam muito quentes.
           
           E aqueles dois garotos do começo da postagem têm um sonho. Ser jogador de futebol e disputar uma copa do mundo e por causa do mundo globalizado ir jogar na Europa. Talvez ganhar um campeonato importante pelo seu clube de coração. O esporte bretão hoje em dia mudou muito, a figura do craque cada vez mais escassa, mas a essência do futebol sempre será a mesma. Igual disse o Pixinguinha: “São onze de lá, onze de cá, buscando o gol”.

           
          Passado três anos e a pedido de todos volto a escrever ao Blog. Agora com muito mais informação e diversão. Falando de futebol brasileiro, argentino, estaduais, copas nacionais e se possível trazendo informações dos bastidores. 

domingo, 5 de janeiro de 2014

Benfica 5 - 0 Gil Vicente


Foi um jogo de sentido único em que a esperança do Gil Vicente repetir a façanha do jogo do campeonato caiu por terra ao sofrer um golo logo no inicio do jogo. O Benfica foi desta vez capaz de gerir o jogo e o resultado foi-se dilatando sem grande surpresa.
Jesus desta vez quanto a mim bem nas escolhas que fez, e o mais importante a passagem à próxima eliminatória da taça.
Espero que o resultado moralize os jogadores, e sobretudo os adeptos, acho que nunca tinha visto o estádio tão vazio, pois contra o Porto todos fazemos falta.
Jesus na conferencia de imprensa deixou antever o regresso de Artur para o jogo contra o Porto, caso venha mesmo a confirmar-se é uma decisão que me parece errada, Oblak tem estado bem, seguro, não sofreu ainda golos e estar a tira-lo nesta altura para dar o lugar a Artur, que vem de um erro comprometedor, é estar a queimar o jovem Esloveno.
A ver vamos, mais do que isso importa que quaisquer que sejam os titulares entrem sem medo e apenas com o objectivo de vencer, empatar não chega, é preciso VENCER!
Aproveito também para desejar um 2014 glorioso.

Scofield

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Benfica B 3 lagartinhos 1

13h da tarde, Cais do Sodré: para o seixal o passe dá ou preciso de bilhete?
Precisa de bilhete 2,3 euros
- Mas já pago 35 euros/mês, não posso trocar 1 dia de greve por este bilhete
- não, 2,3 euros
- bem Que se f* lixe, menos 2 imperiais  (e para cá venho a nadar).

E lá entro eu no barco com destino ao seixal, ao local de onde sairão as nossa futuras glórias, ou a continuar assim onde dormem os futuros reforços de gil vicente, rio ave...
Adiante, fui mesmo foi para ver o mágico, 94 nas costas, talento no pé e Benfica no coração... sentei-me estrategicamente e posso dizer que passei o jogo quase todo a olhar para o miúdo, quem me visse pensava que era larilas, mas depois via o treinador dos lagartinhos e eu em comparação voltava a ser másculo.
Como todo o jogo passa pelo Bernardo ainda consegui ver os golos e tal.
A 15 minutos do fim o Hélder quis que eu apreciasse a equipa de um modo geral e substituiu o Bernardo.
Conclusões, Urreta é melhor que Ola John, a braçadeira fica bem ao Rúben Pinto e o Funes Mori é um "Cardozo" mais lento, e com menos faro de golo.

Jogo visto a questão que se coloca é:
- Mas que raio faz Bernardo Silva ainda aqui? organiza, pressiona, recupera bolas, dá tudo! O Jesus estava na bancada, espero que tenha visto o mesmo que eu!
E pronto lá bebi as imperiais para esquecer o que esta gente anda a fazer com o meu Benfica, e com aqueles
que tendo melhores pés que eu o sentem da mesma forma.
Vim na mesma de barco, dei cabo das finanças, mas comprei uma boa dose de esperança.
A cereja no topo do bolo foi dar na boca (novamente) "aos frutos da melhor
escola de formação do mundo" gente da "alta sociedade" a quem a derrota custou um pouco a engolir.
Viva o Benfica!
Scofield